DevOps Master, o que ganho com a certificação?

Formando o profissional do futuro
29/08/2017
O pior a fazer em DevOps é esperar!
19/02/2018

DevOps Master, o que ganho com a certificação?

A certificação DevOps Master da Exin, se apresenta como um diferencial muito interessante no mercado, frente a uma serie de outros que focam somente em ferramentas. Sendo as ferramentas e a automação importantes como elementos aceleradores, elas estão longe de serem suficientes para a implantação eficaz do DevOps na organização.

Quais as competências, habilidades que serão desenvolvidas e demostradas nesta certificação, na preparação do profissional DevOps Master? Quais os tópicos e assuntos que serão tratados? Como estas habilidades serão incorporadas nos profissionais que participam do curso preparatório?

DevOps se apresenta como um movimento, que sem lugar a duvidas é uma evolução natural de uma coleção de técnicas refinadas e disciplinas existentes e necessárias, que na prática, uma vez bem implantada nas organizações, garantem uma verdadeira revolução nas práticas de Gerenciamento de Serviços de TI, Gerenciamento de Projetos de TI, Gerenciamento de Requisitos e Desenvolvimento de software, Gerenciamento de Infraestrutura, e principalmente, na própria cultura da organização, já que focada na entrega de resultados rápidos e em forma eficaz, precisa de uma sincronia em todas as praticas da TI, frente as necessidades urgentes do negócio.

 

 

O profissional DevOps Master terá seu diferencial e se destacará nas seguintes competências:

  • Como avaliar, mensurar as diversas práticas atuais da TI, seus sintomas e causas raiz, com a finalidade de determinar ações que foquem em aumentar a eficacia direcionando e um DevOps eficaz.
  • Como implantar e melhoras as práticas atuais da TI, como objetivando a melhora concreta da TI, em relação a velocidade e segurança na organização como um todo.
  • Quais os cuidados e necessidades culturais precisam ser integrados, quais das características e competências que fazem das equipes serem altamente produtivas em um ambiente altamente mutante, quais as anti-práticas que anulam o trabalho ágil nas práticas DevOps.
  • Quais as práticas convencionais, como ITSM, Agile SCRUM, Atividades de Desenvolvimento, Gerenciamento de Projetos, que precisam de adaptações para o DevOps Funcionar eficazmente.
  • Quais as práticas especificas, quais as necessidades de automação das rotinas das equipes de Desenvolvimento que se integram a um fluxo continuo de entrega na cultura DevOps.
  • Quais as práticas especificas, quais as necessidades de automação das rotinas das equipes de Operações e Infraestrutura que permitem uma DevOps eficaz, especialmente quando ha uma necessidade de provisionar agilmente infraestrutura e suporte em ambiente altamente inovadores.
  • Como realizar implantações instantâneas que permitem evoluir sem paradas, ambientes 24×7 por exemplo, metaforicamente, como trocar os pneus com o carro em andamento, em forma segura, rápida e com mínimos impactos em ambientes DevOps.
  • Como capacitar a organização para evoluir seus diferentes sistemas em ambientes altamente dinâmicos e seguros.
  • Quais as práticas de Banco de Dados, suportam evoluções dinâmicas com rápidos rollback no transito entre versões.
  • Como reduzir custos e aumentar a qualidade e segurança com o uso adequado de práticas e ferramentas que permitam minimizar erros e aumentar a capacidade de inovação da empresa.

Entre outros assuntos, passaremos de uma visão de boas práticas, exercícios, discussão de casos, construção de conhecimento e competências em um curso altamente participativo, rico em conteúdos e novidades que permitirão questionar a TI, em todas suas atividades para incorporar todo o mundo deste novo paradoxo que veio para ficar. DevOps Master, uma certificação pioneira, necessária, urgente.

Conteúdo Programático

1. Adoção do DevOps

  • 1.1. Mentalidade (Mindset) DevOps e seus Benefícios
  • 1.2 Cultura Organizacional
  • 1.3 Princípios e Conceitos DevOps

2. Planejamento, Requisitos e Desenho

  • 2.1 Gerenciamento do Ciclo de Vida de Aplicativos ou Serviços
  • 2.2 Termo de Abertura do Projeto (Definição de escopo) e Controle Visual
  • 2.3 Desenho da Infraestrutura e Arquitetura
  • 2.4 Requisitos e acordos de nível de serviço
  • 2.5 Implementando uma Estratégia de Testes

3. Desenvolvimento e implantação

  • 3.1 Entrega Contínua e Integração Contínua
  • 3.2 Pipeline de implantação
  • 3.3 Implantação contínua
  • 3.4 Ji-Kotei-Kanketsu, Ritmo, Trabalho em Andamento e Fluxo Unico (Fluxo Contínuo)
  • 3.5 Automação, Ferramentas e Testes

4. Operação e Dimensionamento

  • 4.1 Gerenciamento de Dados; Infraestrutura e Ambientes; e Componentes e Dependências
  • 4.2 Gerenciamento de Configuração e Controle de Versão
  • 4.3 Infraestrutura em Nuvens e Imutável
  • 4.4 Continuidade do Negócio
  • 4.5 Dimensionamento

5. Fim da vida

  • 5.1 Condições de Fim de Vida de um produto ou serviço

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *